New Music International Festival. De 04 a 09 de dezembro de 2012. Oi Futuro Ipanema, RJ, Brasil
Novas Frequências

Chico Dub

chicodub

por Chico Dub
Novas Frequências #02

Artwork: Adriano Motta

Ouça a Mixtape de Chico Dub clicando neste link!

“Não há nada que precisamos fazer que não seja perigoso.”
John Cage

Parabéns a todos os curadores de festivais de música experimental e de vanguarda que conseguiram iniciar seus textos curatoriais sem alguma citação a John Cage. Se citá-lo já é uma constante por si só, em ano de centenário, então, nem se fala.

Mesmo assim, não consegui resistir. Assumo a obviedade. Mas é que consigo traçar um interessante paralelo que merece ser citado entre a biografia desta mítica figura que transgrediu o universo musical e se tornou ícone pop, e o Festival Novas Frequências.

Debrucei boa parte de 2011 e 2012 estudando a vida e a obra de John Cage para realizar o que imaginava ser, sem falsa modéstia, um festival definitivo na América do Sul sobre sua carreira. Infelizmente, o projeto não foi aprovado em editais de cultura e afins e por isso não foi realizado. Abro os jornais aqui e ali, visito sites e faço pesquisa. A quantidade de homenagens, citações e mostras sobre Cage no ano em que se comemora o centenário de seu nascimento é pífia. Sabemos todos que o músico e pensador da música é fundamental para o estado atual das coisas, mas não temos memoria ou conhecimento suficiente sobre esses assuntos para achar que vale a pena homenageá-lo.

Este texto não é um desabafo. Ele tem apenas o objetivo de mostrar o quão (ainda) é desafiador trabalhar com música e linguagens vanguardistas no Brasil. Pois tenho certeza que dezenas – talvez centenas – de projetos sobre Cage tenham surgido em todo o Brasil e a maioria deles, assim como o meu, ficaram sem aprovação e sem sair do papel.

Acredito que mais importante do que falar sobre o Novas Frequências ou sobre o meu umbigo, o que é fundamental é lembrar Cage e homenagear produtores que, cada um a sua maneira, lutam em seu dia-a-dia para realizar seus sonhos e contribuir para a produção de música de vanguarda, experimental, das novas tendências ou alternativa. Ao longo deste programa, você terá a oportunidade de ler os relatos de algumas dessas inquietas pessoas, gente como Fernando Torres, Pedro Azevedo, Sávio de Queiroz, Marcos Boffa, Batman Zavareze, Akin, Daniel Tamenpi, Marcos Guzman e Renato Godoy.

Cabe aqui o meu agradecimento a Oi, ao Oi Futuro e a Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro por apostarem na continuidade desta ousada e inovadora empreitada batizada Novas Frequências. E é muito gratificante saber que o festival não está sozinho no Brasil, mesmo que, infelizmente, ainda não possamos dizer que ele está inserido dentro de uma cena mais ampla no país. Existem outras ideias por aí, muitas delas excelentes e dignas de apoio, incentivo e patrocínio. E quanto mais gente fazendo, melhor. Quem sabe assim, não conseguimos, juntos, construir uma cena sólida?

Chico Dub
Idealizador e curador do Festival Novas Frequências
www.oesquema.com.br/chicodub

 
Comments