New Music International Festival. De 04 a 09 de dezembro de 2012. Oi Futuro Ipanema, RJ, Brasil
Novas Frequências

Marcos Guzman

greensunset

por Marcos Guzman
Green Sunset

Artwork: Paulo Caetano

Ouça a Mixtape Marcos Guzman clicando neste link!

Até hoje me pergunto porque trabalho com isso. Acho que foi por puro idealismo, somente isso poderia justificar enfrentar todas as dificuldades e adversidades para viabilizar de maneira independente projetos neste pequeno  segmento do setor cultural.

Sempre acreditei de maneira romântica no poder transformador da arte como ferramenta de expansão de consciência, tolerância social e cidadania. Por outro lado, sempre acreditei no potencial da cidade de São Paulo e no Brasil em geral, como polo consumidor e irradiador de cultura de vanguarda, mesmo nos períodos mais pessimistas da economia há mais de 10 anos atrás. Enquanto muitos dos meus amigos, reclamavam daqui e partiram para a diáspora rumo ao hemisfério norte, eu preferi ficar e lutar.

Acho que o fato de ser filhos de imigrantes e ter desde muito cedo morado em diversos países de culturas muitos diferentes tem me dado segurança principalmente no começo, para trabalhar com mais propriedade com esse conteúdo artístico. Afinal de contas, tive a oportunidade de ver e entender in loco as manifestacões de arte urbana, o nascimento de ritmos urbanos, e ter transitado por diversas religiões,

Muitos dos meus projetos nos últimos cinco anos tem como característica a utilização de espaços públicos onde o principal objetivo é provocar a redescoberta e a consequente valorização dos cidadãos com a própria cidade. As leis e as normas para a permissão e alvarás costumam ser bem rígidas, restritivas e burocráticas, mas não reclamo pois acho que deve mesmo haver um controle de segurança para evitar uma anarquia generalizada. Mas, após muitos trabalhos bem sucedidos, felizmente nos últimos anos tenho tido uma boa relação com as esferas municipais e estaduais de governo. Pelo menos em São Paulo, suas respectivas secretarias de cultura, diretores dos equipamentos e centros culturais em geral tem uma visão progressista e são bem receptivas a novas formas de música e cultura independente em geral.

Umas das maiores motivações e prazeres nesse árduo trabalho é justamente a satisfação de poder contribuir com a expansão contínua desse segmento cultural, observar o crescente aumento do público interessado, a dissolução de nichos antes presos somente a um ou outro subgênero artístico, o crescente intercâmbio artístico, observar artistas locais assimilando e incorporando novos códigos estéticos, e principalmente a consolidação definitiva da cidade e do país como importante centro mundial de cultura avançada, deixando de ser apenas mais um irrelevante ponto periférico no cenário internacional.

Outro ponto que me traz muita satisfação é a colaboração e companheirismo que há entre os outros profissionais deste segmento, amizades e alianças com os outros produtores culturais, com esses artistas, e o calor e receptividade e apoio do público. O respeito mútuo com os parceiros institucionais nacionais e institucionais.

Acho que hoje em fim, posso dizer que meu sonho está se realizando.

 
Comments